Frase do dia

"Todos os momentos são preciosos. Nunca nenhum é igual. Faz o melhor que possas, pois esse momento não voltará a repetir-se"

- Anónimo

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Compreensão


Não se agaste com o ignorante; certamente, não dispõe ele das oportunidades que iluminaram seu caminho.

Evite aborrecimento com as pessoas fanatizadas; permanecem no cárcere do exclusivismo e merecem compaixão como qualquer prisioneiro.

Não se perturbe com o malcriado; o irmão intratável tem, na maioria das vezes, o fígado estragado e os nervos doentes.

Ampare o companheiro inseguro; talvez não possua o necessário, quando você detém excessos.

Não se zangue com o ingrato; provavelmente, é desorientado ou inexperiente.

Ajude ao que erra; seus pés pisam o mesmo chão, e, se você tem possibilidades de corrigir, não tem o direito de censurar.

Desculpe o desertor; ele é fraco e mais tarde voltará a lição.

Auxilie o doente; agradeça ao divino poder o equilíbrio que você está conservando.

Esqueça o acusador; ele não conhece o seu caso desde o princípio.

Perdoe ao mau; a vida se encarregará dele.



do livro Agenda Cristã

terça-feira, 29 de junho de 2010

Who wants to live forever

Aqui estão 3 interpretações diferentes da mesma música (2 vocais e uma instrumental).
Lindas!













Silêncio e Calma


Se você está no ponto de estourar mentalmente, silencie alguns instantes para pensar.

Se o motivo é moléstia no próprio corpo, a intranquilidade traz o pior.

Se a razão é enfermidade em pessoa querida, o seu desajuste é factor agravante.

Se você sofreu prejuízos materiais, a reclamação é bomba atrasada, lançando caso novo.

Se perdeu alguma afeição, a queixa tornará você uma pessoa menos simpática, junto de outros amigos.

Deixou-se alguma oportunidade valiosa para trás, a inquietação é desperdício de tempo.

Se contrariedades apareceram, o acto de esbracejar afastará de você o concurso espontâneo.

Se você praticou um erro, o desespero é porta aberta a faltas maiores.

Se você não atingiu o que desejava, a impaciência fará mais larga distância entre você e o objectivo a alcançar.

Seja qual for a dificuldade, conserva a calma, trabalhando, porque, em todo problema, a serenidade é o tecto da alma, pedindo o serviço por solução.


do livro Ideal Espírita

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Mais velho significa mesmo mais sábio

Razão têm aqueles que dizem que a velhice é um posto.
Sempre me habituei a ouvir esta expressão. Às vezes, em conversas, lá ouvimos algo do género: "Oh rapaz, tu ainda és muito novo! -Vai por mim, que eu é que sei; já cá ando há muito tempo".

Cientistas descobriram que o poder do cérebro aumenta com a idade. Apesar de a memória a curto prazo diminuir, a memória a longo prazo mantém-se intacta.

Além disso, as capacidades sociais, a inteligência emocional e o vocabulário aumentam, relata o Mail Online.

Estas conclusões contrariam a crença popular que o cérebro atinge o seu pico entre os 20 e os 30 anos e a partir daí apenas decresce.

A capacidade de tomar decisões de forma mais racional, diz este estudo, prende-se com o facto de cérebros mais velho serem menos susceptíveis à dopamina, responsável por reacções mais impulsivas. E mesmo que o processo cerebral seja mais lento devido à idade, a existência de experiências anteriores, transformadas em modelos, permite uma tomada de decisão mais rápida.

Peter Connelly, perito do Colégio Real de Pediatria, diz que «o julgamento de uma pessoa mais velha pode ser extremamente valioso porque tem mais experiência e com isso possui a habilidade de pensar nos assuntos de forma mais lógica e sensível», acrescentando que «enquanto uma pessoa mais nova salta de solução em solução, uma pessoa mais velha tem a vantagem da experiência».

Numa pesquisa elaborada pela Escola de Medicina do Monte Sinai de Nova Iorque, ficou provado que o cérebro dos macacos mais velhos é menos sensível a novos estímulos, mas que a memória mais antiga permanece intacta.

«À medida que envelhecemos, conseguimos manter o nosso vocabulário, QI e experiência, que podem melhorar com o tempo», argumenta John Morrison, professor de Neurociência que liderou o estudo.


Notícia em diario.iol.pt

Conferência sobre O Livro dos Espíritos


Na sexta-feira, dia 2 de Julho, pelas 21H00, vai decorrer uma conferência subordinada ao tema "O LIVRO DOS ESPÍRITOS".
Livro notável, fala-nos da essência do ser humano, de onde vem, para onde vai, o que está a fazer na Terra, e do porquê das diferentes sortes.


O evento terá lugar na sede do Centro de Cultura Espírita, no Bairro das Morenas, em Caldas da Rainha, na Rua Francisco Ramos, nº 34, r/c, www.ccespirita.org, e-mail: cce@caldasrainha.net
As entradas são livres e gratuitas.


Fonte: CCE (Caldas da Rainha)

Luz e sombra

A alma humana, de modo geral, até agora é um complexo de luz e sombra e, por mais nos desinteressemos de semelhante realidade, a evolução e o aprimoramento nos exigem a ampliação da luz, no nosso mundo íntimo, a fim de que o discernimento e a compreensão sigam connosco, caminho adiante, clareando-nos os domínios do instinto e da razão, induzindo-nos às decisões certas, capazes de garantir-nos a paz de consciência.

Emmanuel

domingo, 27 de junho de 2010

Queen - Is This The World We Created



Devíamos ter mais cuidado na forma como tratamos o mundo, e de como o apresentamos a Deus, pois, como diz a letra da música, que pensará Ele dos nossos actos.

sábado, 26 de junho de 2010

Perante o tempo


Em nenhuma condição, malbaratar o tempo com polémicas e conversações estéreis, ocupações fantasistas e demasiado divertimento.
Desperdiçar tempo é esbanjar património divino.

Auto disciplinar-se em todos os cometimentos a que se proponha, revestindo-se do necessário discernimento.
"Fazer muito" nem sempre traduz "fazer bem".

Fugir de chorar o passado, esforçando-se por reparar toda acção menos correcta.
O passado é a raiz do presente, mas o presente é a raiz do futuro.

Afastar aflições descabidas com referência ao porvir, executando honestamente os deveres que o mundo lhe designa no minuto que passa.
O "amanhã" germinará das sementeiras do "hoje".

Quanto possível, plasmar as resoluções do bem no momento em que surjam, de vez que, posteriormente, o campo da experiência pode modificar-se inteiramente.
Ajuda menos, quem tarde serve.

Ainda que assoberbado de realizações e tarefas, jamais descurar o bem que possa fazer em favor dos outros.
Quando procuramos o bem, o próprio bem nos ensina a encontrar o "tempo de auxiliar"

"Ainda não é chegado o meu tempo, mas o vosso tempo sempre está pronto" - Jesus.
(João, 7:6.)


do livro Conduta Espírita

A prece segundo o Espiritismo


Muitos recolhem-se nas preces pomposas, cheias de palavras bonitas, verbalizando a formula mas esquecendo o essencial: a intimidade com a espiritualidade. Não que estas preces não tenham valor, mas porque na maioria das vezes esquecemo-nos do real significado das palavras que nos saem, quase que automaticamente, da boca.
O Espiritismo vem dar-nos uma nova visão da prece. Esta é uma conversa entre nós e o nosso Guia Espiritual. Podemos dirigi-la aos Espíritos Superiores, ou mesmo a Deus.

Numa altura em que perdemos um pouco a noção de espiritualidade, deixando-nos preencher pelas actividades do dia-a-dia, nada melhor que, numa sexta-feira, em final de dia, escutarmos umas palavras a respeito deste tema.

Fazendo uma alusão aos tempos de Moisés, e da forma como ele teve de "segurar" um povo que se dispersava da oração, passando pelos tempos de Jesus de Nazaré, em que uma nova visão da prece surgia, baseada no amor a um Deus único, numa prece sincera, em que o mais importante era a forma interior, e não a exterior, até aos dias de hoje, com o Espiritismo, a prece assume um papel preponderante no nosso equilíbrio, mantendo-nos acesa a esperança, fortificando a nossa fé.

O Espiritismo é Ciência, Filosofia, e Moral. Assim, ajuda o Homem a melhorar-se e a crescer espiritualmente, porque objectiva a transformação moral, explicando que somente será feliz quando colocar em prática as noções ético-morais que Jesus deixou na Terra, espalhando a fraternidade entre os homens e melhorando assim o tecido social do planeta, dinamizando a tolerância, o perdão, a compreensão, pacificando assim o homem e consequentemente a sociedade.

Segundo o que os Espíritos disseram a Kardec, pela prece podemos pedir, louvar, e agradecer. Habituados que estamos a pedir, e muitas vezes em última instância, torna-se importante vermos a prece com maior abrangência e, podemos assim, começar a agradecer e louvar a Deus pela nossa vida, pelos familiares e amigos, pela saúde, pelas nossas actuais condições, por tudo quanto nos rodeia, etc...




No que ao pedir diz respeito, podemos rogar a Deus que nos envie luz para o nosso caminho, equilíbrio, forças, paciência, discernimento, coragem. Jesus disse que se pedirmos obteremos. Não, muito provavelmente, como nós queremos, mas a verdade é que Deus nos enviará sempre a ajuda que melhor for para nós.

Podemos louvar os desígnios de Deus. Tudo à nossa volta se encaixa em perfeita harmonia, desde as Suas leis, o universo, a complexidade da vida, desde a vegetal até à animal, desde a simples bactéria até ao infinito universo. A nossa vida é uma bênção, em que Deus permite que passemos pelas provas necessárias à nossa evolução, com as pessoas próprias para isso, nunca esquecendo a nossa vida passada, e de como ela influi na actual.

Podemos agradecer-lhe a alegria, a fé, a bênção do trabalho, a oportunidade de servir, a esperança, a família, os amigos, a dádiva da vida. Podemos, também agradecer os bons e os maus momentos, a saúde e a doença, pois tudo à nossa volta contribui para a nossa melhoria, e, quanta mais resignação tivermos mais aproveitaremos todas essas oportunidades.

A prece também foi abordada sob o ponto de vista científico. Foi lido um texto que falava de uma investigação feita pelo médico William Harris realizada num hospital da cidade de Kansas, nos EUA. Vários doentes na unidade dos problemas coronários melhoraram depois de um grupo de cristãos ter rezado por eles. A partir do número dos seus registos clínicos, Harris seleccionou 466 doentes e forneceu os seus nomes próprios a um grupo de cristãos que se voluntariou para rezar por cada um deles, todos os dias, durante quatro semanas. A sua evolução clínica foi depois seguida por uma equipa de dez médicos que, tendo em conta um determinado número de parâmetros e sintomas, verificou que estes doentes registaram melhoras bastante mais acentuadas que os restantes 524 pacientes internados pelos quais ninguém rezou. Esta foi uma entrevista que saiu no jornal, português, "Expresso", a 27 de Novembro de 1999.




O palestrante falou da Lei da Adoração, que se pode ler, e estudar, em O Livro dos Espíritos, na Parte Terceira - As Leis Morais, Cap. II - Da Lei de Adoração.
A prece torna-nos melhores, pois quando a fazemos com fervor Deus envia-nos, sempre, os Bons Espíritos para nos assistir.
Podemos, também, orar pelos outros, pois os amigos espirituais são sensíveis à nossa lembrança, levando os nossos intentos até àqueles por quem nos lembramos.


“O homem é o autor da maior parte das suas aflições, às quais se pouparia, se sempre obrasse com sabedoria e prudência”
Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. XXIII

“Quando vos aprestardes para orar, se tiverdes qualquer coisa contra alguém, perdoai-lhe, a fim de que vosso pai, que está nos céus, também vos perdoe”
Marcos, 6

A prece é a melhor ferramenta de que dispomos, e que tantas vezes descuramos.
Com ela estamos em perfeita sintonia com os Bons Espíritos.
Está na hora de lhe darmos mais atenção.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Saber perdoar

Não te detenhas!

Torna à presença do companheiro que te feriu e perdoa, ajudando-o a recuperar-se.

Reflecte e ampara-o!

Quantas dores e quantas perturbações lhe vergastaram a alma, antes que a palavra dele se erguesse para ofender-te ou antes que o seu braço, armado pela incompreensão, deferisse contra ti o golpe deprimente?

Guarda a calma e auxilia, sem cessar.

Mais tarde, é possível que não possas, por tua vez, suportar o horrendo assalto da ira e reclamarás, igualmente, o bálsamo da alheia compreensão.

Retorna ao teu lar ou à tua luta e espalha, de novo, a bênção do amor, com todos os corações que jazem envenenados, pelo fel da crueldade ou pela peçonha da calúnia.

Não hesites, porém! Perdoa agora, enquanto a oportunidade de reaproximação te favorece os bons desejos porque, provavelmente, amanhã, o ensejo luminoso terá passado e não encontrarás, ao redor de ti senão a cinza do arrependimento e o choro amargo da inútil lamentação.


Emmanuel

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Fischer Z - So Long



Esta é uma daquelas músicas que dá vontade de ouvir, e ouvir, e ouvir......

Parentes difíceis


Aceite os parentes difíceis na base da generosidade e da compreensão, na certeza de que as Leis de Deus não nos enlaçam uns com os outros sem causa justa.
O parente-problema é sempre um teste com que se nos examina a evolução espiritual.
Muitas vezes a criatura complicada que se nos agrega à família, traz consigo as marcas de sofrimento ou deficiências que lhe foram impostas por nós mesmos em passadas reencarnações.
Não exija dos familiares diferentes de você um comportamento igual ao seu, porquanto cada um de nós se caracteriza pelas vantagens ou prejuízos que acumulamos na própria alma.
Não tente se descartar dos parentes difíceis com internações desnecessárias em casas de repouso, à custa de dinheiro, porque a desvinculação real virá nos processos da natureza, quando você houver alcançado a quitação dos próprios débitos ante a Vida Maior.
Nas provações e conflitos do Lar terrestre, quase sempre, estamos pagando pelo sistema de prestações, certas dívidas contraídas por atacado.


do livro Sinal Verde

Feargal Sharkey - A Good Heart




"Um bom coração nestes dias é difícil de encontrar, por isso, por favor, sê gentil com este coração que é meu"

Palestras espíritas em áudio


O Centro de Cultura Espírita actualizou o seu repositório de palestras on-line. Estão disponíveis dezenas de novos ficheiros no formato áudio. Este tipo de divulgação permite a qualquer pessoa ouvir enquanto conduz, no PC, no telemóvel ou qualquer outro dispositivo de reprodução de áudio.
Clique aqui para fazer download das palestras em áudio.


Fonte: CCE

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Notas de bem viver

Por maiores sejam os obstáculos procura doar o melhor de ti, na execução das tarefas que te cabem.

Se erraste, recomeça.

Se caíres, pensa na tua condição de criatura humana, reajusta as próprias emoções e reergue-te para caminhar adiante.

Desânimo, em muitos casos, é ausência de aceitação do que ainda somos, ante a pressa de ser o que outros, pelo esforço próprio nas estradas do tempo, já conseguem ser.

Coragem é a força que nasce da nossa própria disposição de aprender e de servir.

Não te ausentes dos próprios encargos.

(...)

Quando os problemas do quotidiano se te façam difíceis, ao invés de inconformação ou de azedume, usa a paciência.

(...)

Lembra-te de que falando ou silenciando, sempre é possível fazer algum bem.

Grande entendimento demonstra a criatura que vive a própria vida do melhor modo que se lhe faça possível, concedendo aos outros o dom de viverem a vida que lhes é própria, como melhor lhes pareça.


do livro Atenção

terça-feira, 22 de junho de 2010

Desejos

Desejo é realização antecipada.
Querendo, mentalizamos; mentalizando, agimos; agindo, atraímos; e atraindo, realizamos.
Como você pensa, você crê, e como você crê, será.
Cada um tem hoje o que desejou ontem e terá amanhã o que deseja hoje.
Campo do desejo, no terreno do espírito, é semelhante ao campo de cultura na gleba do mundo, na qual cada lavrador é livre na sementeira e responsável na colheita.
O tempo que o malfeitor gastou para agir em oposição à Lei, é igual ao tempo que o santo despendeu para trabalhar sublimando a vida.
Todo desejo, na essência, é uma entidade tomando a forma correspondente.
A vida é sempre o resultado de nossa própria escolha.
O pensamento é vivo e depois de agir sobre o objectivo a que se endereça, reage sobre a criatura que o emitiu, tanto em relação ao bem quanto ao mal.
A sentença de Jesus: “procura e achará”, equivale a dizer: “encontrarás o que desejas”


do Livro Sinal Verde

segunda-feira, 21 de junho de 2010

CONFERÊNCIA: A PRECE À LUZ DO ESPIRITISMO


Na sexta-feira, dia 25 de Junho, pelas 21H00, vai decorrer uma conferência subordinada ao tema " A PRECE À LUZ DO ESPIRITISMO".
Habituados que fomos a "rezar", o Espiritismo vem demonstra-nos o poder da prece sincera, como verdadeiro intercâmbio energético entre o mundo material e o mundo espiritual.


O evento terá lugar na sede do Centro de Cultura Espírita, no Bairro das Morenas, em Caldas da Rainha, na Rua Francisco Ramos, nº 34, r/c, www.ccespirita.org, e-mail: cce@caldasrainha.net
As entradas são livres e gratuitas.


Fonte: CCE (Caldas da Rainha)

domingo, 20 de junho de 2010

Amor

A máxima lição da vida é o amor.
Sem ele os objsctivos a alcançar perdem a finalidade, deixando a criatura à mercê das suas pauxões inferiores.
O amor dilui as sombras dos sentimentos negativos, imprimindo o selo da mansidão em todos os actos.
Ama, portanto, tudo e todos.
Exercita-te no amor à Natureza, que esplende em Sol, ar, água, árvore, flores, frutos, animais e homens.
Deixa-te enternecer pelos convites silenciosos que o Pai Criador te faz e espraia as tuas emoções por sobre todas as coisas, dulcificando-te interiormente.
Quanto mais ames, menos será atngido pelas farpas do mal, pois que a tua compreensão dilatada abrirá os espaços à vida, colhendo somente os efeitos da paz.

do livro Vida Feliz

That's What Friends Are For





Amigos......
São dos bens mais preciosos que temos.
O amigo é aquele que compreende, aceita, aconselha, ama. Não critica, e se o faz, é de forma sempre construtiva. Não nos põe pra baixo. Nos bons e maus momentos, lá estará para nos abraçar, sorrindo, dando esperança. É alguém em quem temos total confiança, e de quem não precisamos de temer o quer que seja.
Assim são os verdadeiros amigos.

sábado, 19 de junho de 2010

Como o Espiritismo explica os milagres?


Todos gostávamos de ver um milagre na nossa vida. De repente uma vida melhor; quem sabe uma doença que desaparecesse; a lotaria que nos batesse à porta; uma viagem merecida; a rápida passagem da crise para tempos bem melhores. Seria, como dizemos, ouro sobre azul.

O Espiritismo vem clarear a situação dos milagres, enquadrando-os na lei natural, e por conseguinte dar-lhes uma explicação sobre o que até então se pensava ser inexplicável.

Foram os milagres o tema de fundo da palestra ocorrida no Centro de Cultura Espírita.

Vamos definir o termo milagre:
coisa admirável, extraordinária, surpreendente. Popularmente, porém (sob a influência da teologia predominante no país), por milagres entende-se: facto sobrenatural (que está além e fora da Natureza), algo inusitado e inexplicável, uma derrogação das leis na Natureza, pela qual Deus nos mostra o seu poder.

Podemos dizer que a ignorância e o desconhecimento, não conseguindo dar explicações para o que ocorre, dão lugar ao sobrenatural, à imaginação e ao maravilhoso.
Tudo quanto desconhecemos atribuímos ao milagre. Isto porque, não encontrando explicação, afigura-se mais fácil atribuir a causa a fenómenos que nos ultrapassam no conhecimento, do que encontrar-lhes o verdadeiro sentido.
Aos olhos do ignorante, a Ciência faz milagres todos os dias. No entanto aos olhos do cientista tudo se enquadra numa lógica.

Antigamente, muitas coisas eram consideradas como maravilhoso ou sobrenatural. Algumas nem eram factos reais mas apenas crendices ou superstições sem fundamento. Outras eram fenómenos (factos naturais) e foram consideradas milagres por estarem mal explicadas ou serem desconhecidas as suas causas.

As curas realizadas por Jesus, por exemplo, foram consideradas pelo povo como milagres, no sentido que a palavra tinha na época: o de coisa admirável, prodígio. Sem dúvida, temos que reconhecer, eram fenómenos admiráveis os que Jesus produziu. Tal devia-se à grandeza espiritual de que era portador.



No entanto Jesus disse que nós podíamos fazer tudo quanto Ele fez, bastando para isso termos um pouco de fé.

Actualmente, o Espiritismo esclarece que os fenómenos de cura se dão pela acção fluídica, transmissão de energias, intervenção no perispírito.
Muitas pesquisas, muitos estudos, muitas experimentações têm vindo a comprovar o que o Espiritismo diz a este respeito.
Assim, com a Ciência e o Espiritismo, torna-se inevitável o fim do maravilhoso. A primeira, com as suas pesquisas, esclarece-nos quanto ao mundo material e as suas leis, ao passo que o segundo esclarece-nos quanto ao mundo espiritual e suas leis.
Espiritismo e Ciência caminham lado a lado, mas o Espiritismo não pára onde esta se detém.

Segundo a Doutrina Espírita, não existem milagres na concepção normalmente empregada a este termo. Para o Espiritismo, todos os acontecimentos ocorrem dentro das Leis Naturais. Sendo essas Leis criadas e mantidas por Deus, e sendo Deus perfeito, não haveria motivo para derrogá-las ou contradizê-las uma vez que elas próprias derivam da perfeição, segundo a lógica Espírita. Tudo aquilo que não encontra presentemente explicação nas leis da natureza será explicado com base na ciência, no futuro, tendo em vista que o conhecimento humano actual ainda não é capaz de explicar todos os eventos no Universo. É por isto que duas pessoas muito distantes uma da outra conversando por meio de aparelhos electrónicos pareceria um milagre para um indivíduo do século I.

Se o Espiritismo nos desvenda um mundo invisível, que os nossos sentidos orgânicos não percebem, desvenda os seus mistérios, revela-nos o seu funcionamento. Mostra-nos a interligação entre o mundo físico e espiritual.

O estudo da Doutrina Espírita afigura-se de primordial importância, pois ficamos com maior abrangência no que ao conhecimento diz respeito, e, a pouco e pouco, vamos compreendendo cada vez mais, deixando de haver aquela necessidade de relegar certas coisas para o âmbito do inexplicável, e dessa forma encontrar-lhes uma explicação.

Bem e Mal

Somos o que de nós
fizemos até hoje.
Seremos o que viermos de nós
a fazer no futuro.
Pois o bem e o mal que fazemos
assinalam o caminho,
que dará as directrizes
do nosso destino.


do livro Encontro Amigo,
de Luís da Costa Martins

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Cuidado

Todo rio procede de uma nascente simples.
A maioria dos incêndios procede de uma faísca.
Assim também sucede com o suicídio e a delinquência: a reclamação demasiadamente repetida; o grito inesperado desarticulando o equilíbrio emocional de quem ouve; o gesto de irritação; a frase de critica; a explosão do ciúme; o confronto infeliz; a queixa exagerada; a exigência sem razão; a palavra de insulto; a resposta á base de zombaria; ou o compromisso desprezado...

Qualquer dessas manifestações, aparentemente sem importância, pode ser o inicio de lamentáveis perturbações.


Emmanuel

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Diante a vida

Não és um observador distante da vida.
Estás na condição de membro do organismo universal, investido de tarefas e responsabilidades, de cujo desempenho, por ti, resultarão a ordem e o sucesso de muitas coisas.
A postura de quem observa de fora produz enfoques e conclusões equivocados.
No entanto, a participação consciente dá medida correcta e propicia melhor compreensão dos dados ao alcance.
Considera-te pessoa valiosa no conjunto da Criação, tornando-te, cada dia, mais actuante na Obra do Pai e fazendo-a melhor conhecida e mais considerada. Tu és herdeiro de Deus, e o Universo, de alguma forma, te pertence.


do livro Vida Feliz

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Confia em Deus

O mundo talvez ignore as dificuldades que enfrentas. Mesmo assim, não te revoltes contra o mundo. Deus sabe das lutas que travas na Terra.

É provável que os familiares te cerquem de incompreensão. Mesmo assim, não te revoltes com os parentes difíceis. Deus sabe das provas que enfrentas no lar.

É possível que a enfermidade te visite o corpo. Mesmo assim, não te revoltes contra a doença. Deus sabe das dores que carregas no veículo físico.

Diante das lutas, incompreensões e dores que a vida na Terra possa te apresentar, não te revoltes, nem desanimes. Confia em Deus e age no Bem, porque Deus sabe o que se passa contigo e a acção no bem será sempre a garantia da conquista da paz imperecível.


Scheilla

terça-feira, 15 de junho de 2010

O ideal de cada um

Cada qual de nós, seja de onde for, está sempre construindo a vida que deseja.

Existência é a soma de tudo o que fizemos de nós até hoje.

Toda melhoria que realizarmos em nós, é melhoria na estrada que somos chamados a percorrer.

Toda a ideia que você venha a aceitar influenciará seu espírito; escolha os pensamentos do bem para orientar-lhe o caminho e o bem transformará sua vida numa cachoeira de bênçãos.

Se você cometeu algum erro não se detenha para lamentar-se; reflita sobre o assunto e rectifique a falha havida porque somente assim, a existência lhe converterá o erro em lição.

Torna-se muito difícil viver bem se não aprendermos a conviver.

A vida por fora de nós é a imagem daquilo que somos por dentro.

Viver é a lei da natureza, mas a vida pessoal é a obra de cada um.

Toda vez que criticamos a experiência dos outros, estamos apontando em nós mesmos os pontos fracos que precisamos emendar em nossas próprias existências.

Seu ideal é o seu caminho, tanto quanto seu trabalho é você.


André Luíz

segunda-feira, 14 de junho de 2010

CONFERÊNCIA: OS MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO


Na sexta-feira, dia 18 de Junho, pelas 21H00, vai decorrer uma conferência subordinada ao tema " OS MILAGRES À LUZ DO ESPIRITISMO".
O outrora considerado milagroso, encontra explicação lógica, racional, dentro da ciência espírita.


O evento terá lugar na sede do Centro de Cultura Espírita, no Bairro das Morenas, em Caldas da Rainha, na Rua Francisco Ramos, nº 34, r/c, www.ccespirita.org, e-mail: cce@caldasrainha.net
As entradas são livres e gratuitas.


Fonte: CCE (Caldas da Rainha)

Revele-se

Nas lutas habituais, não exija a educação do companheiro.
Demonstre a sua.

Nas tarefas do bem, não aguarde colaboração.
Colabore, por sua vez, antes de tudo.

Nos trabalhos comuns, não clame pelo esforço alheio.
Mostre sua boa-vontade.

Nos serviços de compreensão, não peça para que seu vizinho suba até você.
Aprenda a descer até ele e ajude-o.

No desempenho dos deveres cristãos, não aguarde recursos externos para cumpri-los.
O melhor património que você pode dar às boas obras é o seu próprio coração.

No trato vulgar da vida, não espere que seu irmão revele qualidades excelentes.
Expresse os dons elevados que você já possui.

Em toda criatura terrestre, há luz e sombra.
Destaque sua nobreza para que a nobreza do próximo venha ao seu encontro.


do livro Agenda Cristã

domingo, 13 de junho de 2010

A vida continua

A morte nos ensina que se este mundo nos
dispensa, um outro nos acolhe de braços
abertos e a vida continua.

A morte é um naufrágio onde muitos pensam
que o piloto morreu, mas ele apenas abandonou
o barco que não lhe servia mais e voltou
para sua casa eterna.

A morte não é a nossa perda maior e sim a
perda dos amigos, da fé e da esperança.

A morte provocada, comparada com a morte
natural, é como cair duma escada ou descer degrau a degrau.

do livro Fragmentos da Vida,
por Luís da Costa Martins

sábado, 12 de junho de 2010

Hora vazia


Cuidado com a hora vazia, sem objectivo, sem actividade.
Nesse espaço, a mente engendra mecanismos de evasão e delira.
Cabeça ociosa é perigo à vista.
Mãos desocupadas facultam o desequilíbrio que se instala.
Grandes males são maquinados quando se dispõe de espaço mental em aberto.

Se, por alguma circunstância, surge-te uma hora vazia, preenche-a com uma leitura salutar; ou uma conversação positiva, ou um trabalho que aguarda oportunidade para execução, ou uma acção que te proporcione prazer...

O homem, quanto mais preenche os espaços mentais com as ideias do bem, mediante o estudo, a acção ou a reflexão, mais aumenta a sua capacidade e conquista mais amplos recursos para o progresso.
Estabelece um programa de realizações e visitas para os teus intervalos mentais, as tuas horas vazias, e te enriquecerás de desconhecidos tesouros de alegria e paz.
Hora vazia, nunca!


do livro Episódios Diários,
Joanna de Ângelis

Francisco Cândido Xavier


Foi uma palestra que deixou toda a gente com água na boca. Afinal, Chico Xavier era o tema central, esse homem de bem que deixou, para além de muitos livros com mensagens do mundo espiritual (451 livros), inúmeros exemplos de bondade e humildade. A palestrante frisou que a marca de Chico Xavier não era a sua mediunidade, mas sim a sua humildade.
O cantor Roberto Carlos definiu-o como um homem chamado amor. Era assim Chico Xavier.
Foram projectadas imagens da casa onde nasceu, e foram narradas partes da sua história. Um menino que aos 4 anos se vê privado de sua mãe, já que esta partiu para o mundo espiritual. Uma família numerosa que vivia em extrema pobreza. Foi assim a infância de Chico. Ficou aos cuidados de sua madastra que lhe batia. Dizia ele:

"Ao me levantar, pela manhã, eu não me animava em tomar café; ficava esperando a primeira surra do dia.
Depois, sim, tomava meu café com aquela alegria de já haver pago uma parcela"


Pela sua vidência, começou a ver a mãe, que lhe aparecia.

Quero ir embora daqui mamãe, só vivo apanhando…”
A mãe recomendou-lhe paciência: “Quem não sofre não aprende”.
“Minha madrinha diz que estou com o diabo no corpo…”
“Não se importe. Tudo passa e, se tiver paciência Jesus nos ajudará para ficarmos sempre juntos.”


"Porque fiquei órfão de mãe aos cinco anos de idade, fui entregue à protecção de uma senhora que, durante quase dois anos, graças a Deus, me favorecia com três surras de marmelo por dia…
…empreguei-me numa fábrica de tecidos aos oito anos de idade e nela trabalhei quatro anos seguidos, à noite, estudando na escola primária durante o dia.
Não podendo continuar na fábrica, empreguei-me como auxiliar de cozinha, balcão e porta, num pequeno empório, durante mais quatro anos."


"…em seguida empreguei-me numa repartição do Ministério da Agricultura, na qual trabalhei 32 anos, começando da limpeza da repartição, até chegar a escriturário, quando me aposentei."


Mais tarde, uma das irmãs de Chico ficou em estado de profunda obsessão. Pediram ajuda a um casal de espíritas, que por meio de reuniões mediunicas conseguiram com que a irmã melhorasse e, Chico, aí começou a desenvolver-se como médium escrevente.
Anos depois Chico abre o seu Centro Espírita, na sua própria casa.



O primeiro livro de Chico, claro que de origem espiritual, foi Parnaso de Além-Túmulo, contendo 259 poesias de 56 poetas desencarnados.

Muitas outras histórias foram narradas pela palestrante, demonstrando que Chico era um homem humilde e pobre, sem vaidades nem protagonismos.

Certo dia uns jornalistas, ouvindo falar dos feitos de Chico, o quiseram entrevistar.
Saiu uma crónica sobre esse encontro:

"Ele atende. Está agora à nossa frente encostado à parede evidentemente embaraçado diante daquela cara estranha e daqueles olhos curiosos.
Não traz chapéu nem gravata e todo o seu traje é um atestado de pobreza.
É moreno, de um moreno carregado, e tem cabelos muito negros, compridos, crespos.
Baixo, compleição forte. Caboclo. Mas no físico, não na expressão. Esta é de estranha humildade e doçura
Com o sorriso leve que mostra agora, seu rosto tem até um ar de ingenuidade.
Lá longe, na cidade grande diriam dele:
- «Um bobo!»


"O seu embaraço acentua-se quando lhe pomos o olhar no paletó surrado, nas calças de brim remendadas, nos sapatos cambaios.
Com a mesma timidez da entrada, ele observa-nos:
- Desculpem ter vindo nestes trajes. Estava a trabalhar.
A vida tem que ser assim: trabalhar…"


Foi, ainda, feita alusão aos espíritos que mais directamente trabalharam com Chico, Emmanuel e André Luíz.
A capacidade mediunica, no que toca à psicografia, era enorme. Escrevia com as duas mãos ao mesmo tempo, podendo ser, inclusive, em línguas diferentes, e também de forma especular (podendo ser lida através de um espelho).




Chico tinha um especial carinho pelas mães:

«Oro, todos os dias, pelas mães que perderam filhos, sobretudo em situações trágicas.
Deus há-de compadecer-se de todas elas!..
Quando me procuram é que, verdadeiramente posso sentir a minha insignificância para consolar alguém…»


Por intermédio dos espíritos Chico deixou 451 livros (sendo 39 publicados após a morte), foram vendidos mais de cinquenta milhões de exemplares em português e traduzidos para castelhano, inglês, francês, grego, checo, japonês ,italiano, russo e Braille, publicados em 45 países. Calcula-se que tenha recebido 20.000 mensagens.

Chico queria desencarnar numa altura em que reinasse a alegria e euforia no Brasil, para assim não ser muito notado. Desencarnou logo após o Brasil se sagrar campeão do mundo, em futebol.

Assim era Chico.
A palestra terminou num ambiente de emoção, ouvindo-se cochicos: "gostava tanto de o ter conhecido..."

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Perante o desespero

Provocações e problemas, habitualmente, são testes de resistência, necessários à evolução e aprimoramento da própria vida.

A paciência é a escora íntima que auxilia a criatura a atravessá-los com o proveito devido.

O desespero, entretanto, é sobretaxa de sofrimento que a pessoa impõe a si mesma, complicando todos os processos de apoio que conduziriam à tranquilidade e ao refazimento.

O desespero é comparável a certo tipo de alucinação, estabelecendo as maiores dificuldades para aqueles que o hospedam na própria alma.

Em conflitos domésticos, inspira as vítimas dela a pronunciar frases inoportunas, muitas vezes separando os entes amados, ao invés de uni-los. Nos eventos sociais que demandam prudência e serenidade, suscita a requisição de medidas que prejudicariam a vida comunitária se fossem posta em prática no imediatismo com que são exigidas. Nas reivindicações justas, costuma antecipar declarações e provocar acontecimentos que lhes caberiam atingir. Nas moléstias do corpo físico, por vezes encoraja o desrespeito pela dosagem dos medicamentos, no doente que precisa da disciplina, em favor da própria cura.

Disse Jesus: “Bem-aventurados os aflitos porque serão consolados,” mas urge reconhecer que os aflitos inconformados, sempre acomodados com o desespero, acima de tudo, são enfermos que se candidatam a socorro e medicação.

Emmanuel

quinta-feira, 10 de junho de 2010

10 de Junho, feriado em Portugal


Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
muda-se o ser, muda-se a confiança:
todo o Mundo é composto de mudança,
tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
diferentes em tudo da esperança:
do mal ficam as mágoas na lembrança,
e do bem (se algum houve), as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
que já coberto foi de neve fria,
e, enfim, converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
outra mudança faz de mor espanto,
que não se muda já como soía.


Luís de Camões

Amizade e compreensão

Muitos companheiros de luta exigem cooperadores esclarecidos para as tarefas que lhes dizem respeito, amigos valiosos que lhes entendam os propósitos e valorizem os trabalhos, esquecidos de que as afeições, quanto as plantas, reclamam cultivo adequado.
Compreensão não se improvisa. É obra de tempo, colaboração, harmonia.
O próprio Cristo, primeiramente, semeou o ideal divino no coração dos continuadores, antes de reconhecer-lhes o entendimento. Sofreu-lhes as negações, tolerou-lhes as fraquezas e desculpou-lhes as exigências para formar, por fim, o colégio apostólico.
(...)
Examina, pois, diariamente, a tua lavoura afectiva. Observa se estás exigindo flores prematuras ou frutos antecipados. Não te esqueças da atenção, do adubo, do irrigador. Coloca-te na posição da planta em jardim alheio e, reparando os cuidados que exiges, não desdenhes resgatar as tuas dívidas de amor para com os outros.
Imita o lavrador prudente e devotado, se desejas atingir a colheita de grandes e precisos resultados.

do livro Vinha de Luz

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Vaso chinês


Uma amiga enviou, por mail, esta bela mensagem.
Serve de reflexão, afim de sabermos valorizar as circunstâncias com que nos deparamos nesta vida.



Vaso Chinês

Uma velha senhora chinesa possuía dois grandes vasos, cada um suspenso na extremidade de uma vara que ela carregava nas costas.
Um dos vasos era rachado e o outro era perfeito. Este último estava sempre cheio de água ao fim da longa caminhada do rio até casa, enquanto o rachado chegava meio vazio.
Durante muito tempo a coisa foi andando assim, com a senhora chegando a casa somente com um vaso e meio de água.
Naturalmente o vaso perfeito era muito orgulhoso do próprio resultado e o pobre vaso rachado tinha vergonha do seu defeito, de conseguir fazer só a metade daquilo que deveria fazer.
Depois de dois anos, reflectindo sobre a própria amarga derrota de ser 'rachado', o vaso falou com a senhora durante o caminho: 'Tenho vergonha de mim mesmo, porque esta rachadura que eu tenho faz-me perder metade da água durante o caminho até a sua casa...'

A velhinha sorriu:
Reparaste que lindas flores há somente do teu lado do caminho? Eu sempre soube do teu defeito e portanto plantei sementes de flores na beira da estrada do teu lado. E todos os dia, enquanto a gente voltava, tu regava-las.

Durante dois anos pude recolher aquelas belíssimas flores para enfeitar a mesa. Se tu não fosses como és, eu não teria tido aquelas maravilhas na minha casa.
Cada um de nós tem o seu próprio defeito. Mas é o defeito que cada um de nós tem, que faz com que nossa convivência seja interessante e gratificante.

É preciso aceitar cada um pelo que é... E descobrir o que há de bom nele.'

Nos domínios

Observe como vai indo a sua voz, porque a voz é dos instrumentos mais importantes da vida de cada um.
A voz de cada pessoa está carregada pelo magnetismo dos seus próprios sentimentos.
Fale em tonalidade não tão alta que assuste e nem tão baixa que crie dificuldade a quem ouça.
Sempre aconselhável repetir com paciência o que já foi dito para o interlocutor, quando necessário, sem alterar o tom de voz, entendendo-se que nem todas as pessoas trazem audição impecável.
A quem não disponha de facilidades para ouvir, nunca dizer frases como estas: “Você está surdo?”, “Você quer que eu grite?”, “Quantas vezes quer você que eu fale?” ou “já cansei de repetir isso”.
A voz descontrolada pela cólera, no fundo, é uma agressão e a agressão jamais convence.
Converse com serenidade e respeito, colocando-se no lugar da pessoa que ouve, e educará sua suas manifestações verbais com mais segurança e proveito.
Em qualquer telefonema, recorde que no outro lado do fio está alguém que precisa de sua calma, a fim de manter a própria tranquilidade.


do livro Sinal Verde

terça-feira, 8 de junho de 2010

Saudações


Toda saudação deve basear-se em pensamentos de paz e alegria.
Pense no seu contentamento quando alguém lhe endereça palavras de afecto e simpatia, e faça o mesmo para com os outros.
Mobilize o capital do sorriso e observará que semelhante investimento lhe trará precioso rendimento de colaboração e felicidade.
Uma frase de bondade e compreensão opera prodígios na construção do êxito.
Auxilie os familiares com a sua palavra de entendimento e esperança.
Se você tem qualquer mágoa remanescendo da véspera, comece o dia, à maneira do Sol: - esquecendo a sombra e brilhando de novo.

do livro Sinal Verde

Esquecer o mal

Qual a atitude mental que mais favorecerá o nosso êxito espiritual nas actividades do mundo?

Essa atitude deve ser a que vos é ensinada pela lei da reencarnação em que vos encontrais, isto é, a do esquecimento de todo mal para recordar apenas o bem e a bendita oportunidade de trabalho e edificação, no património do tempo.

Esquecer o mal é aniquilá-lo, e perdoar a quem o pratica é ensinar o amor, conquistando afeições preciosas.

Daí a necessidade do perdão, no mundo, para que o incêndio do mal possa ser exterminado, devolvendo-se a paz legítima a todos os corações.


Emmanuel

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Queen - Bohemian Rhapsody

Freddie assumiu que há muito que queria fazer algo como a Bohemian Rhapsody.
"Não foi nada a que dedicasse muita atenção em álbuns anteriores, mas senti que o ia fazer quando chegasse o quarto álbum" - Freddie.

Bohemian Rhapsody eram 3 canções e ele juntou-as. Foi uma música muito pensada, não surgiu de um dia para o outro.
Mas um grande obstáculo se colocava no caminho desta canção: o tempo de duração.
Assim era um risco, e diziam-lhe que a música não teria sucesso pois, a editora não estava disposta a apostar nela e, as rádios jamais a passariam. As faixas de duração normal rondavam os 3 minutos, e esta teria 6 minutos.

Foi uma canção forte e com grande êxito. O single vendeu, só em Inglaterra, mais de 1,25 milhões de cópias, o que foi um escândalo.

"Há sempre um factor de risco associado e é assim que eu gosto" - Freddie.

Sem dúvida esta canção tornou-se um grande êxito, e ainda bem que o Freddie foi persistente em querer lançá-la.
Numa votação (recente) em Inglaterra, esta música foi a escolhida pelos ingleses como a melhor música que alguma vez passou naquele país.

Aqui está ela, Bohemian Rhapsody.


JORNAL PÚBLICO: A DOUTRINA ESPÍRITA MERECE RESPEITO


Mais uma reclamação aos média, e consequente pedido de esclarecimento.
Esta dirigiu-se ao jornal "Público", e foi enviada pela ADEP - Associação de Divulgadores de Espiritismo de Portugal.




Exmª Srª Bárbara Reis,
Directora do Jornal «Público»
cartasdirector@publico.pt
Lisboa - Portugal




As nossas mais cordiais saudações.
Na V. edição de 27 de Maio de 2010, a V. colaboradora Helena Matos, no seu artigo "Ou mudamos de vida ou a vida nos muda", ao abordar a situação social portuguesa, tece comentários em relação ao Espiritismo (ou Doutrina Espírita) de uma forma completamente despropositada:


«...Exemplos não faltam. Basta ir procurá-los a http://transparencia.org/. Meia hora de pesquisa é suficiente para concluir que ou conseguimos que a administração pública ganhe juízo ou então só nos resta dedicarmos-nos ao espiritismo.»


O Espiritismo é um amplo movimento cultural. Não é mais uma seita nem mais uma religião, nem se compadece com crendices, superstições, magias, bruxarias, negócios e / ou negociatas.
O Espiritismo, como ciência de observação investiga os factos espíritas, como filosofia explica-os, como moral aponta ao homem um roteiro ético-moral para a sua espiritualização.
Os espíritas são cidadão normais (jornalistas, médicos, professores, militares, administrativos, agricultores, etc.), que se dedicam, gratuitamente, nas suas horas vagas, ao estudo, prática e divulgação da Doutrina Espírita, com o único salário de tentar ser útil ao próximo, de forma completamente desinteressada.
O Espiritismo ensina ao ser humano a não ser xenófobo, não ser racista, não distinguir os seres humanos pela sua condição social, não fazer diferenças entre as pessoas por questões de género, é uma filosofia que defende a Natureza, tendo como máxima "Fora da caridade não há salvação", procurando colocar em prática os ensinamentos ético-morais que Jesus de Nazaré deixou como legado à humanidade.
Nesse sentido, contribui para a pacificação social, auxílio desinteressado e fraterno entre todas as pessoas, independentemente das suas convicções de qualquer natureza.
Vimos solicitar a V. Exª, a devida correcção, em abono da verdade, e pelo respeito que os leitores do "Público" merecem, onde nos incluímos.

Respeitosamente, ao V. dispor para eventuais esclarecimentos adicionais,



P'la Ass. de Divulgadores de Espiritismo de Portugal
José Carlos Miranda Lucas
(secretário)



Fonte: ADEP

Posto médico (RECLAMAÇÃO)

É uma injustiça a forma como se coordenam os serviços de saúde, a nível local.

Enviei reclamação, por mail, para o Centro de Saúde de Caldas da Rainha, e também para a ministra da saúde.

ucspcaldasrainha@gmail.com
gms@ms.gov.pt



Caros senhores,

É com surpresa que constato que o Posto Médico do Carvalhal Benfeito, deste concelho, está com um serviço médico péssimo.
Não sou utente, felizmente, desse posto médico. No entanto, os meus avós de 86 e 81 anos, respectivamente, estão dependentes desse posto.
Com a idade já avançada precisam, naturalmente, de cuidados que outrora se faziam dispensáveis. Mas, esqueci de lhes dizer que não podem ficar doentes. Pois, assim, tornaram-se um passatempo as ídas ao referido posto, dado que o médico tem dias que não aparece. E porque não aparece? -Simples, telefona à propria da hora a dizer que não pode ir. É triste, meus senhores. Muito triste.
Penso que até existem 2 médicos, e a história é a mesma.
Hoje mesmo, segunda-feira dia 7 de Junho, os meus avós, que somente queriam que o médico lhes passasse umas receitas afim de poderem levantar o medicamento, para as dores, na farmácia, chegaram ao posto médico às 7h da manhã. Supostamente o médico viria às 14.30h. Só por aqui, já me dão certos arrepios na coluna só de pensar que pessoas daquela idade se levantam tão cedo, repito tão cedo, para irem para a fila de espera. Pois! Porque senão correriam o risco da fila para atendimento já estar esgotada.
Pronto, lá conseguiram a sua vez. À hora em que, supostamente, o médico deveria entrar ao serviço, recebeu-se uma chamada a dizer que afinal tal não era possível. Concordo que, por vezes, não nos seja possível estar em todo lado, e até mesmo impedimentos surjam.
Refiro que esta já não é a primeira tentativa, nem tão pouco a segunda, de quererem a receita carimbada. Outras vezes houve em que se dirigiram ao mesmo local, mas, o médico não acedeu ao pedido da receita. Viva o bem estar das pessoas idosas!

Sabemos quais as políticas dominantes neste país. Infelizmente, goza-se com esta gente, gente boa da terra.
Sabemos, também, que estão nos planos o encerramento do posto médico.
Quem se preocupa? -Ninguem!

Fico triste.
Mas paciência, lá tenho que dizer aos meus avós que eles é que estão errados: não podem ficar doentes. Quem os manda ter dores?!?!?
Eles sim, são os culpados.

Seria bom terem atenção a tudo isto que se passa, pois são malta da terra, que lutaram por uma vida justa, e que levam, como dizemos: para trás!

É justo? -Não!
Quem resolve? -Ninguem!
Quem se preocupa? - Ninguem!
Quem perde? - Quem precisa!

Seria, já, tempo de mudarmos de atitude.

--
António Luís

Palestras em audio - CCE


Caso pretenda ouvir palestras, em áudio, realizadas no Centro de Cultura Espírita, em Caldas da Rainha, e disponibilizadas on-line, poderá fazê-lo clicando aqui.

Espiritismo: Chico Xavier- o maior médium da humanidade


Na sexta-feira, dia 11 de Junho, pelas 21H00, vai decorrer uma conferência subordinada ao tema " Chico Xavier- o maior médium da humanidade".
No ano em que se comemoram os 100 anos do nascimento de Francisco Cândido Xavier, venha conhecer um pouco da grandiosidade deste ser humano e do contributo que deu para a humanidade.


O evento terá lugar na sede do Centro de Cultura Espírita, no Bairro das Morenas, em Caldas da Rainha, na Rua Francisco Ramos, nº 34, r/c, www.ccespirita.org, e-mail: cce@caldasrainha.net
As entradas são livres e gratuitas.


Fonte: CCE (Caldas da Rainha)

Sinais

Sua conversação dirá das directrizes que você escolheu na vida.

Suas decisões, nas horas graves, identificam a posição real de seu espírito.

Seus gestos, na luta comum, falam de seu clima interior.

Seus impulsos definem a zona mental em que você prefere movimentar-se.

Seus pensamentos revelam suas companhias espirituais.

Suas leituras definem os seus sentimentos.

Seu trato pessoal com os outros esclarece até que ponto você tem progredido.

Suas solicitações lançam luz sobre os seus objectivos.

Suas opiniões revelam o verdadeiro lugar que você ocupa no mundo.

Seus dias são marcas no caminho evolutivo.

Não se esqueça de que compactas assembleias de companheiros encarnados e desencarnados conhecem-lhe a personalidade e seguem-lhe a trajectória pelos sinais que você está fazendo.


do livro Agenda Cristã

domingo, 6 de junho de 2010

O tesouro dos dias

O homem pode acumular o ouro para negocia-lo quando julgue oportuno, dispõe de meios, a fim de reter as safras de cereais, na expectativa de preços que lhe satisfaçam as conveniências.

Entretanto, das riquezas que a Divina Providência lhe empresta, uma existe que ele não consegue armazenar: É o tesouro dos dias.

Toda criatura é obrigada a gastar as Próprias horas, trocando-as por algo.

Há quem as troque por trabalho e cultura, serviço ao próximo e dever cumprido, ociosidade e queixume, irritação e rebeldia.

Ao termo de cada existência no Plano Físico, os Administradores das Horas te perguntarão, naturalmente:

- “Que fizeste do tempo que o Senhor te confiou?”.

Então, compreenderás, por fim, que o tempo é vida.


Emmanuel

sábado, 5 de junho de 2010

Paulo Brissos - Sei lá

Nos tempos em que eu ainda era jovem costuma ver o Paulo Brissos num bar em Óbidos.
Sempre achei esta música um encanto.
Aqui está ela.


Perante a reencarnação

Todos sofrem, enquanto estão no mundo.
A dor é um método eficiente para a renovação, quando falecem os benefícios do amor não vivido.
Diante desta fatalidade inevitável, que o Espírito enfrenta nos mais variados matizes, cumpre-lhe recebê-la com dignidade e confiança.
O que hoje se apresenta atormentante, ameaçador, amanhã se converte em paz.
A doença física ou mental, a aflição económica ou moral, passam deixando os resultados conforme o grau de elevação pessoal através do qual foram recebidas.
Não te consideres, pois, infeliz, quando sofrendo. Retira os benefícios da injunção expungitiva e segue adiante, encorajado.

Joanna de Ângelis

Porque reencarnamos?


Foi num ambiente calmo que decorreu a palestra sobre reencarnação, no Centro de Cultura Espírita. Numa sexta-feira em que muitos aproveitaram a ponte notavam-se algumas cadeiras vazias. As cerca de 60 pessoas presentes aqueciam o auditório e tudo fluía naturalmente.

Porque reencarnamos? -Este foi o título escolhido pelo palestrante.
O objectivo não era dar uma visão cientifica, mas sim abordar o tema sob o ponto de vista filosófico para, assim, se conseguir uma melhor atenção dos presentes.

A palestra começou com uma história, verídica, da D. Maria (nome fictício). Vida amargurada, cansada pelo excesso do trabalho, a D. Maria vê a vida como um vazio na sua existência. Pelo meio estão 2 filhas que desencarnaram muito jovens. Está um casamento marcado pela violência verbal e também física. Sente-se perdida e sem forças. Então, a D. Maria pergunta muita vez o porquê de ter nascido, e de ter passado por todas estas provas, sem o merecer.

Procuramos respostas. A primeira que nos aparece é a de chamar a Deus de injusto. Como pode Ele permitir que uns vivam em completa alegria e, outros, passem pela vida de forma mais rude.

O Espiritismo dá-nos um enorme auxílio no que toca a esclarecer esta situação. Fala-nos de Reencarnação. Temos muitas vidas. Já vivemos antes muitas vezes e, continuaremos a viver noutros corpos no futuro. Até quando? -Até atingirmos o grau supremo que conhecemos: a perfeição.
Até lá, vamos reencarnando pois, Deus, dá-nos essa possibilidade. Nós próprios vamos-Lhe pedindo, pois sabemos das nossas faltas e do que se nos afigura de melhor, e então vamos solicitando reencarnações com determinados objectivos. Mas quando o Espírito mergulha na carne, os seus sentidos ficam entorpecidos, e momentâneamente esquece-se do compromisso assumido anteriormente, ficando, no entanto essa informação de forma inata no seu sub-consciente.

Todos fomos criados simples e ignorantes. Todos! Não existem criações à parte. Os que hoje são perfeitos, como conhecemos Jesus, já percorreram estes mesmos caminhos que hoje trilhamos, e chegaram, pelo seu esforço próprio, à condição que hoje os conhecemos. Um dia também lá chegaremos e, para isso, vai depender do uso que fazemos do nosso livre-arbítrio, e do bem com que semearmos no nosso caminho.

O objectivo da reencarnação não é somente o progresso do espírito, mas também a sua cooperação na obra da Criação. O Espírito participa na co-criação do universo, e por ele é responsável. Assim, somos responsáveis pelos que estão à nossa volta, pelo que lhes incutimos, pela esperança que irradiamos.

Viremos à Terra tantas vezes quantas forem precisas. Umas vezes viremos em expiação e provas, outras vezes viremos em missão. Quando tivermos passado pelas provas que o planeta nos oferece estaremos em condições, aí sim, de reencarnar em mundos bem melhores, mais equilibrados, onde o bem se sobrepõe ao mal.
Daí que não estaremos a reencarnar perpétuamente, mas tantas as vezes quantas forem necessárias dependendo, como se disse, da vontade de cada um.

Também foi dito que as nossas existências físicas não se passam todas na Terra. Outros planetas existem que já habitámos, que são de condições inferiores a esta, e outros planetas existem em grau superior e, que, um dia habitaremos.

Também foi dito que o Espírito pode pedir qual o planeta onde quer reencarnar, tendo para isso, de ter a aprovação da Providência Divina. Essa escolha será feita sempre de acordo com as necessidades do Espírito. E, quando, o Espírito não tem condições para escolher, lhe será imposta a reencarnação, no mundo e local apropriado ao seu progresso. Talvez por causa disso vemos tantas pessoas de mal com a vida. Parece que estão sempre do contra, desmotivadas e contrariadas.

No que toca a vidas passadas perdemos muito tempo a pensar no que fomos; no que fizemos ontem para passarmos pelo hoje. Mas esquecemos que se somos hoje somos o resultado do que ontem fomos, amanhã o seremos do que fizermos no presente. Então, a Reencarnação, dá-nos uma confiança de um futuro promissor, melhor, e assim podemos abreviar as nossas provas.

A doutrina da Reencarnação consiste em:

- admitir para o homem muitas existências sucessivas;
- corresponder à ideia da justiça de Deus no que respeita aos homens de condição moral/corporal inferior;
- poder explicar o nosso futuro e fundamentar as nossas esperanças;
pois oferece-nos o meio de resgatarmos os nossos erros através de novas provas.

Admitindo a reencarnação, e o facto de que já vivemos antes, uma outra certeza nos fica na alma: a imortalidade. Boa noticia: somos imortais! Existe algo melhor do que sabermos que viveremos para sempre?

A palestra foi encerrada com uma mensagem da Joanna de Ângelis. Abriu-se um espaço para o habitual convívio de opiniões e se mais horas houvessem disponíveis mais horas lá passaríamos. Foi muito bom.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Suba mais alto

Não lhe fira a calúnia. Viva de modo que ninguém possa acreditar no caluniador.

Não se atrase, em face da perturbação.
Siga seu caminho, atendendo aos objectivos superiores da vida, porque os perturbadores são inumeráveis.

Não lhe doa a acusação indébita. Você pode realizar muitos planos valiosos, em contraposição aos acusadores gratuitos.

Não se incomode pela desconfiança descabida. Em qualquer lugar, você pode empregar a boa consciência no serviço honesto.

Não desanime, em razão da crítica. Se a censura é serviço cabível a qualquer um, a realização elevada é obra de poucos.

Não se aborreça em virtude de pareceres desfavoráveis. Se você permanece consagrado ao bem, a aprovação da própria consciência prepondera de qualquer opinião por mais respeitável.


do livro Agenda Cristã

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Leitura


Lê uma pequena página, cada dia, na qual encontres alento e inspiração.
Incorpora este dever aos teus hábitos.
Ele te enriquecerá de jubilo, clareando as nuvens que possam envolver-te nas horas seguintes e arrimando-te ao bem-estar, caso suceda surpresa desagradável.
Todas as pessoas necessitam de um bom conselheiro, e, nessa página, que extrairás do Evangelho, terás a directriz de segurança e a palavra de sabedoria para qualquer ocorrência.
Se os homens reflectissem um pouco mais antes de agirem, evitariam males incontáveis.
Já que os outros não o fazem, realiza-o tu.


do livro Vida Feliz

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Espiritismo (reclamação) - DN - 31/05/2010


Os órgãos de comunicação continuam a prestar uma má informação.
Não se trata de ignorância por parte dos jornalistas, pois o jornal em questão, o DN, já o fez outras vezes e por isso mesmo foram pedidos, sempre, que rectificassem a noticia, nunca o havendo feito.
Trata-se de mau trabalho de casa, pois teria bastado um pequeno clique, e digitar a palavra Espiritismo. Veriam que nada tem a ver com bruxarias e com outras práticas duvidosas.
Vejam aqui a noticia.

Se puderem reclamem, pois é bom que percebam a asneira que fazem.

Aqui ficam os contactos:

ferreira.fernandes@dn.pt
naohaalmocosgratis@fcee.ucp.pt
info@erc.pt
provedor@provedor-jus.pt
provedor@dn.pt
agenda@dn.pt




Enviei um e-mail hoje:


Exmº Sr. Director do Diário de Notícias,
Com os meus cumprimentos.
Na V. edição de 31 de Maio de 2010, no seu artigo "Apoteose do narcisismo", o V. colaborador João César das Neves faz comentários em relação à classe política portuguesa, bem como aos deputados que aprovaram a lei que permite o casamento entre homossexuais.
É uma opinião livre, facto que não é condenável, no entanto, não pode haver desrespeito.

Citando parte do artigo:
"Por detrás de leis como o aborto, divórcio, procriação artificial, educação sexual e outras está o totalitarismo do orgasmo. Parece que o deboche agora se chama "modernidade". Mas se um dia, em vez de uma maioria porcalhona, tivermos um parlamento nihilista, espírita, xenófobo ou iberista, o que salva a identidade nacional?"
Fico sem perceber porque é que o V. colaborador insere os Espíritas no meio de "...uma maioria porcalhona, um parlamento xenófobo..." entre outros epítetos que se pressupõe denegrirem uma imagem.

Tal não é a primeira vez que ocorre no DN. Por sua ignorância, confunde Espíritas (pessoas de bem, que, tal como ele, são professores universitários, professores de outros níveis, médicos, militares, jornalistas, entre as mais variadas profissões) com médiuns charlatães, superstição, crendice, bruxarias, magias etc.


Bastaria um simples clique no google, digitando a palavra espiritismo, para facilmente encontrar a página da Ass. de Divulgadores de Espiritismo de Portugal, entre outras, onde poderia verificar o seu erro em termos de cultura geral.

Venho solicitar a V. Exª, se digne informar os leitores do DN que a Doutrina Espírita (que não é mais uma seita nem mais uma religião), assenta numa vertente científica, filosófica e moral, e contribui para a pacificação social, auxílio desinteressado e fraterno entre todas as pessoas, independentemente das suas convicções de qualquer natureza.
A filosofia espírita ensina o ser humano a não ser xenófobo, a não ser racista, a não distinguir os seres humanos pela sua condição social, a não fazer diferenças entre as pessoas por questões de género, e é uma filosofia que defende a Natureza, tendo como máxima "Fora da caridade não há salvação", procurando colocar em prática os ensinamentos ético-morais que Jesus de Nazaré deixou como legado à humanidade.
Manda a postura espírita (cristã), não pensar mal do Sr. João César das Neves, não o julgar, mas também manda a rectidão corrigir o erro e informar com isenção.

Respeitosamente, ao V. dispor para eventuais esclarecimentos adicionais,

--
António Luís

António Variações - Estou Além

"Não consigo dominar este estado de ansiedade"
"Esta insatisfação, não consigo compreender,
sempre esta sensação que estou a perder"

Tenho a certeza que muitos se identificam com a letra desta música.

Todos vivemos em ansiedade. Na maioria das vezes, na correria do dia-a-dia, não paramos para meditar nas circunstãncias em que estamos envolvidos, e somos levados pelas ondas mais densas do pessimismo. Animemos! Melhores dias virão, tenho a certeza!

Aqui fica o meu amigo António Variações, um dos cantores dos quais eu sou fã.


Lugar certo

Todos estamos no trabalho que a vida nos confia.

Cada qual de nós no lugar certo.

Dificuldades se espalham em todos os caminhos da Terra.

Imperfeições são comuns a nós todos.

Provações constituem património das lides comunitárias.

Sofrimento é o esmeril que nos assegura o aprimoramento íntimo.

Doença é factor de renovação.

Desengano é contacto com a realidade.

Crise é o teste da fé que afirmamos possuir.

Atendamos às nossas obrigações, fazendo o melhor, porque dever é o ensinamento que se nos faz necessário a cada dia.

Nos momentos amargos, não desesperes.

Faz hoje todo o bem que possas, melhorando a ti mesmo, quanto se te faça possível, mas não te esqueças de que na Misericórdia de Deus todos temos a luz da esperança, em luminoso amanhã.


Emmanuel

terça-feira, 1 de junho de 2010

Sinais de alarme

Há dez sinais vermelhos, no caminho da experiência, indicando queda provável na obsessão:

- quando entramos na faixa da impaciência;

- quando acreditamos que a nossa dor é a maior;

- quando passamos a ver ingratidão nos amigos;

- quando imaginamos maldade nas atitudes dos companheiros;

- quando comentamos o lado menos feliz dessa ou daquela pessoa;

- quando reclamamos apreço e reconhecimento;

- quando supomos que o nosso trabalho está a ser excessivo;

- quando passamos o dia a exigir esforço alheio, sem prestar o mais leve serviço;

- quando pretendemos fugir de nós mesmos, através do álcool ou do entorpecente;

- quando julgamos que o dever é apenas dos outros.


Toda vez que um desses sinais venha a surgir no trânsito das nossas ideias, a Lei Divina está presente, recomendando-nos a prudência de amparar-nos no socorro da prece ou da luz do discernimento.

Scheilla - Psicografia de F. C. Xavier

Histórias sem Aquele "Era Uma Vez"

Maria Barroso apresenta «Histórias sem Aquele Era Uma Vez»

O livro «Histórias sem Aquele Era Uma Vez», da Porto Editora, será apresentado por Maria Barroso no Dia Mundial da Criança, 1 de Junho, no Belém Bar Café, em Lisboa, pelas 21h00. A obra reúne 40 histórias que outros tantos jornalistas escreveram a partir de conhecidos contos infantis. De referir que os direitos de autor do livro revertem na sua totalidade para a «SOS – Crianças Talibés», uma organização não governamental que actua em território guineense. O objectivo é permitir a reconstrução de um centro de acolhimento que recebe crianças resgatadas aos traficantes, em Bafatá (Guiné Bissau).





«Histórias sem Aquele Era Uma Vez», de Harold Schechter e David Everitt
«De novo, um grupo de jornalistas uniu-se em torno de uma boa causa.
Desta vez, contribuindo para uma ONG que, na Guiné, tem como missão combater as garras e as intenções cruéis de exploradores de crianças.
De novo, um grupo de jornalistas ateou uma chama para alertar as consciências para esse mundo que não tem nada de cetim.
Nada de tão novo nem de tão velho que não exija acções concretas e quotidianas, tenham elas a dimensão que tiverem.
Naturalmente convencidos que este pequeno exemplo não resolverá as necessidades totais dessa Organização, cada um de nós reescreveu histórias conhecidas, pondo nas linhas e nas entrelinhas a sua mensagem contemporânea, obedecendo a uma clara vontade de, às velhas e maléficas práticas, contribuir para esperanças novas dos que, no terreno, lutam honorificamente e cheios de dificuldades para atenuar terríveis sofrimentos»

Retirado de diariodigital.sapo.pt

Dia da Criança


Hoje é dia mundial da criança.

Em 20 de Novembro de 1989, as Nações Unidas adoptaram por unanimidade a Convenção sobre os Direitos da Criança, anunciando um amplo conjunto de direitos fundamentais. Mas, numa sociedade com tendência para o materialismo, esses direitos foram ficando no papel, e as crianças foram ficando esquecidas.

Sem dúvida hoje estamos muito melhores no que a leis diz respeito. Mas muito temos para evoluir.
Todos sabemos que as crianças são abusadas pelos adultos: trabalhos pesados, violências, violações, desamparo, abandono, etc...

Torna-se importante elevarmos o nosso conhecimento, e conseguir abarcar um pouco mais além. Temos que soltar as amarras que prendem nossos ideais à Terra, e encarar a criança, também, pelo prisma espiritual.

Na criança está um Espírito (tal qual nós) que veio a este mundo para se burilar. É suposto ser protegida nos seus direitos. É suposto dar-se-lhes educação e afecto. Um dia vão ser adultos, e serão o reflexo do que estes lhes ensinarem.

Os pais têm grande responsabilidade nessa tarefa. É nossa obrigação dar-lhes uma boa educação, baseada na moral de Jesus de Nazaré.
Muitas vezes olhamos para a criança e achamos que é “nossa”. Esquecemos que é um empréstimo de Deus, uma oportunidade que alguém tem para se afinar com as leis do Criador. Um dia vamos ter de dar contas desse empréstimo.

Deixo, abaixo, uma profunda mensagem alusiva à criança, ditada pelo Espírito Meimei.



Súplica da Criança

Senhor!...

Disseram que os homens que me queriam tanto,
mas ao atingir-lhes a casa, não dialogaram
comigo, segundo as minhas necessidades.
Quase todos me ofereceram um berço enfeitado,
mas poucos me deram o coração.

Afirmam que devo procurar a felicidade,
entretanto, não sei como fazer isso, se os vejo
quase todos sofrendo e rebelando-se por não
aceitarem as disciplinas da vida.

Escuto-lhes as lições de Paz, contudo,
acompanho-lhes as rixas em vista de estarem
sempre exigindo o maior quinhão de recursos
da Terra.

Recomendam-me buscar a alegria, mas, muitas
vezes, observo que está misturado de lágrimas o
leite que me estendem.

Erguem palácios para mim, no entanto, entre as
paredes dessas mansões coloridas e belas,
renovam, a cada dia, reclamações e queixas que
não sei compreender, nem registar.

Explicam que preciso praticar o perdão e, ao
mesmo tempo, muitos me mostram como
exercitar a vingança.

Senhor!...

Que será de mim, neste grande mundo que me
construíste entre as estrelas, sempre adornado
de flores e aquecido de Sol, se os homens me
abandonarem?

Fazei que eles reconheçam que dependo deles
como o fruto depende da árvore. E, tanto
quanto seja possível, dizei-lhes, Senhor, que
terei comigo apenas o que me derem e que
posso ser, enquanto estiver aqui, unicamente o
que eles são.



Psicografia de Francisco Cândido Xavier
Ditada pelo espírito Meimei

Nos vários momentos

Se, em muitas ocasiões:

A tristeza o toma e você esquece a alegria;

A calunia o fere e você esquece o perdão;

O desânimo o corrói e você se esquece da coragem;

A irritação vem e você esquece da calma;

O desespero o arruína e você se esquece da esperança;

O orgulho o fustiga e você se esquece da humildade;

A vaidade o cega e você se esquece da modéstia;

A indiferença o enregela e você se esquece da ternura;

O egoísmo o isola e você se esquece da caridade;

O ódio o convida para o mal e você se esquece do amor, que o chama ao bem;

Se isso lhe ocorre em poucos minutos e você se esquece das horas, meses e anos de aprendizado religioso, é justo reconhecer que, embora tenha encontrado JESUS, você realmente não dispôs a seguir-LHE os passos.


André Luíz